quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

ABERTA PARA BALANÇO

Aberta para balanço

"Vocês conhecem aquelas casas velhas de madeira,de tabuas largas , com fendas e gretas pelas quais costumam cair, debaixo do assoalho, pequenos objetos caseiros: um espelhinho, um pente, uma moeda, um botão,uma missanga, mil coisas assim que ficam lá em baixo, na escuridão? Os meninos antigos gostavam de deitar-se no chão e ficar olhando pelas gretas o velho porão escuro. Quando um raio de sol penetrava, lá em baixo brilhavam coisas esquecidas e perdidas, pequenas ninharias que se acumulavam, anos a fio.Mas se um dia caísse pelas gretas grandes uma jóia, então os pais mandavam buscar um carpinteiro, tiravam as tábuas e dava-se a descida ao mundo misterioso de “debaixo do assoalho”.Os meninos entravam e era uma festa para os olhos e o coração: centenas de coisinhas perdidas e reencontradas:”Aquela bolinha de vidro de cor! Aquele alfinete dourado! Oh! Aquela pedrinha que brilha!” Eram mil surpresas escondidas, acumuladas, perdidas, anos a fio. E que a casualidade de uma jóia caída fizera redescobrir... "

Amo este texto. Não sei quem é o autor. Se alguém souber será um favor grande me dizer. Terei muito prazer em colocar aqui.

É um texto chave para várias reflexões. Hoje quero usá-lo para fazermos um balanço. Sim. Abrir para balanço. É hora de pensar a vida como um fundo de assoalho, com mil pequenas alegrias e carinhos, com mil momentos tépidos de ternura, com mil faíscas e brilhos que vão caindo pelas gretas do tempo e dos dias e se vão esquecendo no fundo da vida. A gente costuma perder muita beleza pelo cansaço, pelo hábito, pela distração, preguiça mesmo..Onde as pequenas atenções diárias? Onde o prazer de se levantar sorrindo ao sol? Onde a alegria de um perfume, um enfeite, uma novidade... Onde os projetos de fim do dia, da semana, das férias? Olhar vitrines... levar um bolo ao vizinho... tomar um sorvete na praça... Ver a banda passar? Jogar conversa fora? Onde? Missangas caídas nas gretas da vida...

Mas início de ano pode ser uma ocasião de choque, de lembranças mais vivas de como eram as coisas. Talvez seja o dia de tirar as tábuas velhas do assoalho, de redescobrir – com a alegria de outros tempos – as pequenas coisas que aprendemos no jardim de infância e que são indispensáveis, sempre, para nossa qualidade de vida.

Abrir para balanço. É isso aí. Fechar não. Fechando não podem sair uns para entrar outros.

11 comentários:

Isadora disse...

LIndo lindo lindo, tanto o texto original como o seu comentário!

Me diga uma coisa, em que trabalhos vc costuma usar cânhamo grosso. Vejo para vender e acho bonito, mas não tenho ideia. É muito grosso para um ponto cruz e muito fino para um tapete, não?

Abraços!

Bruna Araujo disse...

Olá Iêda!!!
Que linda reflexão, eu tenho pensado muito nisso ultimamente, não sei se por ser início de ano, ou por sentir que muitas missangas estão caindo nas gretas da minha vida.

Tenho acompanhado seu blog há alguns dias e vendo posts antigos me deparei com maravilhosos trabalhos em tecido xadrez, as fotos da exposiçao em 10/2008 me deixaram encantada... quanta coisa linda hein?! Tiveram mais exposições como esta? Terão mais exposições como esta? Mesmo morando distante eu adoraria poder prestigiar uma evento lindo assim.

Parabéns, pelos lindos trabalhos!!!

Um grande abraço!
;)

Valdirene Camargos disse...

Lindo,lindo, lindo...
Eu amei Iêda, vc sempre com seu jeitinho carinhoso.
Bjin Valdirene

ABOBORINHA MADURA (Helena) disse...

Olá Ieda

Adorei o texto e também a tua reflexão sobre o mesmo.
Curiosamente tenho o hábito de fazer este tipo de balanço aquando do meu aniverário, mas todas as alturas são boas e mesmo agora ao ler a tua postagem pensei nas minhas coisinhas caídas, que ainda estou a tempo de recuperar.
Beijinhos

Helena

Danikinha disse...

Ola Iêda!
Que mensagem linda!Adorei!
Refletir bastante sobre o texto...
E seus trabalhos continuam maravilhosos!Adorei!
Feliz Ano Novo!Saúde,paz,sucesso e muito amor!
bjinhos,
Danikinha

Regina disse...

cada vez que entro aqui, é como estar ém um horário extra de nossas aulas....me faz um bem muito grande...bjs, tenha um lindo final de semana.Regina Alberice

Margaret disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margaret disse...

Ieda, obrigada por compartilhar essa linda mensagem..Quantas miçangas será que estão caindo nas gretas da minha vida agora?
Seus trabalhos estão lindoooss!!!!como sempre é claro.

Amigos são como o vento...
É impossível prendê-los entre as mãos...
Eles às vezes têm outra direção,
Um caminho que não é o nosso..
As vezes perto, as vezes longe...
Mas eternamente em nosso coração...
tenha um otimo domingo...

Margaret

Lucia disse...

ola Leda muito bonito este texto da que pençar em nossos tempos de criança por um minito em quando o lia voltei a minha enfancia adorei seu comentario ao texto beijos bom fim de semana.....

Nárriman Alcure disse...

Olá, Iêda!!

Passeando pela net, encontrei seu blog e vi muita coisa que me agradou, por isso, resolci seguir!!
Bjs!!

Bete e Luciana disse...

Ieda, você esqueceu de mim????????????????????????????????????????????????????????????????????.
Beijos da amiga Lú.