domingo, 28 de junho de 2009

BAINHAS - SEMPRE LINDAS !

"É nas quedas que o rio cria energia."
José Hermógenes



Amigas, hoje não disponho de muito tempo para me deliciar passeando.
Vou então postar umas bainhas de alunas, só classificado-as como bordado com fios
agrupados.Podem ser o motivo principal ou um complemento numa peça.

Aqui foi usada como moldura para a profusão de pontos e cores que a aluna escolheu.A etiqueta é da exposição onde a peça estava.



Agora a bainha dividiu o primeiro plano com a barra em Bróia, ou Abrolho, ou Macramé.
Vamos nos ater um pouco nestas tramas.

MACRAMÉ:
É uma forma de tecelagem manual, trabalhando com os dedos. Os fios se cruzam presos por nós, formando cruzamentos, franjas e uma imensa gama de formas decorativas.
A palavra macramé significa "nó".É nublada sua origem:ou vem do turco, do árabe, do francês, sendo mais provável ter vindo do árabe migramah, que significa franja ornamental.
A técnica foi introduzida na Espanha e difundida por toda a Europa depois da conquista da Península Ibérica pelos mouros. Mas se iniciou na pré-história quando o homem aprendeu a amarrar fibras para se agasalhar e criar objetos.
Foi difundida no mundo pelos marinheiros que criavam objetos como forma de passar o longo tempo durante as viagens e os trocavam onde desembarcavam.
Na França o macramé sofreu uma alteração, os fios foram colocados nos tecidos para só depois tecerem as franjas. Com isto o macramé deixou de ser um trabalho só com linha( grossa ou barbantes) para aparecer agregado a uma peça de pano.

BRÓIA OU ABROLHO
O macramé foi novamente modificado em Portugal. La se usa desfiar o próprio tecido e assim fazer uma franja onde se aplicam os nós do macramé.Com isso a técnica passa a ser chamada de Bróia ou Abrolho e é desta forma que veio para o Brasil com os colonizadores.

Então?Qual o nome da franja que a Avelin fez para combinar com sua bainha, no paninho abaixo?


Agora vocês podem apreciar bainhas para iniciantes. Desculpem o amassado dos panos, mas foram tiradas as fotos assim que acabaram de fazer, tamanha era a ansiedade delas por ter seu trabalho publicado no blog. E eu sempre que posso atendo às alunas.




Até hoje a arte de dar nós é apreciada pela habilidade do artesão e delicadeza do trabalho.
Quem quizer ver bainha maravilhosa va visitar o blog da Quinha:
Vão amar!

Um grande beijo e fiquem com Deus!

3 comentários:

Quinha disse...

Oi Iêda...
Obrigada pelos elogios ao meu blog.
Os trabalhos das tuas alunas säo lindos.Eu fico muuuito satisfeita quando vejo pessoas querendo fazer bainha aberta,pois acho que esta arte täo antiga näo pode morrer.
Boa semana querida!
bjs

isabel tiago disse...

Boa tarde Lêda

Muito obrigada por me visitar. Tenho andado em descanso de lavores e ocupada com outras tarefas que foram ficando para trás, como por exemplo arrumações e jardinices. No decorrer das arrumações lá vêm à mão algumas coisas antigas que vou aproveitando para partilhar.
Estou encantada com o pano bordado em vários tons.É uma obra de tarde muita elaborada. No que respeita às baínhas abertas também eu gostaria de aprender alguma coisa por mais simples que fosse,mesmo os passos todos que se seguem para inicar um trabalho deste género. Ainda não me foi possível, de momento é apenas um projecto. Muitos parabéns às várias autoras deste tipo de trabalho. Qualquer deles está lindo.

samantha tomczak disse...

Olá prof Ieda,aqui é sam e passei para apreciar seus trabalhos e também gostaria de saber vc sabe de algum blog que ensine macrame,tenho muita vontade de aprender.obrigada.se quiser fazer uma visitinha no meu blog seja bem vinda.wwwsameseuscroches.blogspot.com
beijinhos.samantha.